domingo, agosto 17, 2008

O bem e o mal.

Dizem por aí que é maldade rir da desgraça alheia, mas como meu lugar no inferno já está garantido e com direito a camarote, eu dou sim boas gargalhadas e confesso que fiquei feliz saber que alguém (leia-se uma pessoa específica) se ferrou, e se ferrou gostoso.

Todo mundo tem dentro de si o lado bonzinho e o lado malvado. Do meu malvado as vezes até eu chego a temer. Aqui eu usaria todas aquela máximas: "Vingança é um prato que se come frio"; "O mundo dá voltas"; "Eu avisei"; "Um dia é da caça e outro do caçador"... mas nada disso me dá tanta satisfação quanto saber que eu realmente estava certa. Poderia até ganhar dinheiro com algumas previsões minhas, dar uma de Nostradamus por aí. rs

Você deve estar pensando: "Quanta maldade nesse coração"...
Mas te digo que não é maldade, é um sentimento de missão cumprida. É você ver que pode continuar seguindo sua intuição, e que voce está no caminho certo. Que tudo o que vc aprendeu não foi em vão. Eu esperei, eu me tornei amiga do tempo e ele me retribuiu a altura.
Sei também que amanhã pode ser o meu dia, mas não me importo, valerá a pena.

E nesse fim de semana muitas coisas aconteceram. Comentei aqui uma vez sobre o meu sexto sentido feminino e ontem ele atacou de novo. Sábado a noite, estava cansada e não queria sair, dei uma de chef e fui fazer um jantar pra família, mas definitivamente ficar em casa no sábado não é para mim. Tomei um banho rápido e combinei de encontrar umas amigas num barzinho. Na hora de sair nao encontrei meu perfume e peguei um do meu irmão, o primeiro que vi na frente, só não me lembrei que era o mesmo perfume que 'uma pessoa aí' usava. Entrei no carro e começei a me sentir mal com aquele cheiro, era uma sensação ruim como se eu tivesse voltado ao começo do ano. Pra piorar me veio a sensação de que eu veria a pessoa do perfume, não levei a sério porque poderia ser influência do cheiro. Cheguei na casa da minha amiga e a primeira coisa que fiz foi me lavar e trocar de perfume, e isso me fez bem. Fomos então para o bar, chegando lá , todas as mesas lotadas mas por sorte encontramos uma outra amiga e ficamos por alí mesmo. Cerveja vai, cerveja vem... e junto a vontade de ir ao banheiro, como mulher nunca vai sozinha ao Toillet, juntei duas amigas e fomos... não é que logo na entrada dei de cara com a tal pessoa?! Naquela hora eu tive medo de mim mesma!

Desde de então fico me perguntando...Como eu posso sentir essas coisas? Ou será que são apenas coincidências?? ou melhor ainda... Por que eu tenho essa sensação?
Não foi a primeira, nem segunda e muito menos terceira vez que isso acontece...
É ou não é pra ter medo??

Enfim, eu ainda prefiro acreditar que são apenas meras coincidências.

3 comentários:

Pleiba disse...

Quê historia heim...:o
(coincidência)é aconteceu comigo, estava passeando de moto num domingo derrepente pensei "mto rápido" vira á direita q vc vai ver ela... meu,,,,,,,,,, fazia 5 anos q não a via estava linda, lembrei dos momento bons q tivemos... parei e conversamos, depois desse dia nunca mais a vi, já faz + -10 meses.
mera coincidência????????? :o
foram momentos bons e ruins q passei

bjs

Francisco Castro disse...

Oi, gostei muito do seu blog.

Parabéns!

Um abraço

naoresolve disse...

gostei mais do seu lado malvado do que seu lado nostradamus.

mas fiquei com uma dúvida. foi uma coincidência pro "bem" ou pro "mal"?