terça-feira, outubro 14, 2008

Humor de primeira.

Provavelmente devo ser uma das mais atrasadas em relação ao sucesso do novo programa humorístico da televisão brasileira, mas realmente não tenho tido tempo para tv. Há umas duas ou três semanas estava em casa e vi de relance um programa estranho, mas pelas gargalhadas do meu irmão vindas da sala, notei que era alguma coisa bem diferente. Sentei para assistir, pensando ser mais um desses humores de quinta, com personagens fantasiados que apelam para ignorância do povo, onde mais vale a humilhação do que a reflexão. Me surpreendi com o conteúdo! O nome dele é CQC (Custe o que custar). Humor com inteligência, sagacidade e uma eloqüência verbal única. Achei fabulosa a forma de abordagem usada pelos repórteres acerca dos mais variados assuntos, desde política à badalação das celebridades.

Há tempos um programa da tv aberta não prendia minha atenção, mas o CQC trouxe um novo conceito de jornalismo. Trouxe e está trazendo uma nova visão do que acontece no Brasil e no mundo à pessoas das mais variadas classes sociais, o que mostra que a função social não foi esquecida por seus idealizadores. É de extrema importância que programas desse nível sejam veiculados em canal aberto, já que até então, só pessoas de classe privilegiada tinham acesso à Tv a cabo, restringindo ainda mais o conteúdo apresentado a grande massa. Além do mais, o programa tem um quadro chamado "Proteste Já" no qual o apresentador Rafinha Bastos abre um canal direto para que a população exponha os problemas e a equipe cobra diretamente as autoridades responsáveis, estabelecendo prazos para o cumprimento das promessas. O melhor de tudo é que com a popularidade e acessibilidade do programa, as pessoas vêem no humor uma forma de percepção do que se passa no país, principalmente no que tange à política - e, convenhamos, o brasileiro anda muito alienado em relação a ela.

Com tanta audácia e outras qualidades que o programa apresentou, fui procurar saber mais sobre os apresentadores e realizadores desse projeto, e foi então que fiquei ainda mais lisonjeada. A trupe é composta por Marcelo Tas, Rafinha Bastos, Marco Luque, Felipe Andrioli, Oscar Filho, Warley Santana, Danilo Gentili e Rafael Cortez, e toda equipe técnica, em sua maioria formados em jornalismo e engajados no mundo da arte, seja no teatro, música ou televisão. O interessante é conhecer a pessoa que existe por trás da telinha, são caras extremamente talentosos, capacitados e ainda por cima interagem com o público. Alguns, inclusive, estão ligados a sites de relacionamentos, como o Orkut,
e respondem aos fãs por meio de scraps fazendo com que cresça a popularidade e a propagação desse excelente projeto.

Me interessei especialmente pelo blog do jornalista, ator e músico, Rafael Cortez, o apresentador do CQTeste. Quem o vê nas breves reportagens do programa, algumas vezes até cantando a mulherada, não imagina a bagagem cultural e inteligência do rapaz. Sem contar a paixão que ele tem pelo que faz, isso é inspirador. Falta gente desse naipe na televisão, e principalmente na sociedade.

Fica aqui minha admiração e meus parabéns pela iniciativa desse pessoal, e pelo talento de cada um. E agradecer por tornar a segunda-feira um dia muito mais agradável. rs



*Para quem ainda não conhece, CQC é exibido na Band às 22hrs, toda segunda-feira.

2 comentários:

Lyvia disse...

Ei, parabéns Pelo texto .. muito inteligente, criativo e contextual!
falou tudo! o CQC realmente é um programa excelente e tem um "Time" de apresentadores e repórteres talentosíssimo! e .. que bom que vc passou a assistir CQC, sem dúvidas é um dos melhores programas hoje na TV Aberta , Beijão

D.Ramírez disse...

:)